Brasil é um dos países com mais presos no mundo

3431954625_b70a303d89_m

Imagem: pôster boy

Em números absolutos, o Brasil é um dos países com mais presos no mundo (atrás apenas de Estados Unidos, Rússia e China). Por aqui são 440 mil pessoas presas, ou 277 para cada 100 mil habitantes.

Os Estados Unidos são, de longe, os que mais encarceram: lá há 756 presos para cada 100 mil habitantes.

 O estudo completo, realizado pelo International Centre for Prison Studies, você pode acessar aqui (PDF, em inglês). Os dados dizem respeito a 2008.

Anúncios

12 Comentários

Arquivado em Justiça

12 Respostas para “Brasil é um dos países com mais presos no mundo

  1. CORNELIUS OKWUDILI EZEOKEKE

    uma das razôes pelas quais o brasil está se configurando um pais de muitos presos é pela maneira desumana em que trata os presos.Nesse sentido a desumanização não se verifica apenas ns que têm sua humanidade roubada num sistema carcerário falido,incapaz de regenerar e recuperar ninguém,mas também pela sociedade,dirigida pelo grupo social que se alimenta nos seus interesses particulares.A violência do sistema opressor,faz de pessoas criminosos,não instaura uma outra alternativa senão a da criminalidade forçada pois os egressos não têm tidos as oportunidades para serem outra coisa a não ser bandido.A população carcerária continuará crescendo até que se consiga mudar os preconceito e discriminação em que são criminosamente mantidos.

  2. rogeriojordao

    valeu pela visita, Cornelius, abs! Rogério.

    • OBRIGADO IRMÃO PELA OPORTUNIDADE DE SERMOS OUVIDO.COMO EX-DETENTO,SEI O QUE SIGNIFICA ESTAR SEM VEZ NEM VOZ E ATRAVÉS DE SITES COMO PODEMOS VEICULAR AS NOSSAS OPINIÕES.GOSTARIA TAMBÉM QUE VISITAS O MEU BLOG COM ENDEREÇO ACIMA DESCRITO,ENQUANTO CONTRIBUO COM O SEGUINTE TESE:Concursos públicos para os Egressos.
      Considero que a sociedade tenha, no tocante aos presidiários e egressos, esse desafio a vencer: ter ou não o direito ao concurso publico. Assim sendo percebe-se que as pessoas carregam de fato, uma tradição um tanto negativista, preconceituosa e discriminatória acerca dos egressos (incluindo os legisladores e os aplicadores da lei).
      Esta tradição precisa ser revista e corrigida, se quisermos um recuo na incidência da criminalidade e conseqüentemente da reincidência criminal sociedade não gozara a verdadeira tranqüilidade enquanto não pensa o combate a criminalidade na perspectiva de inclusão dos egresso-recuperados ao mercado de trabalho, através do concurso público. Não adiantará nada a evocação da moralidade pública para tentar impedir o ingresso dos mesmos, enquanto os supostos cidadãos de bem roubam impunemente e, no entanto nada sofrem.
      Paz e tranqüilidade deverão ser frutos de inclusão sócio-laborterápica dos ex-presos, um esforço que deveria ser a prioridade das pessoas na busca por justiça social. Nesse ano,a campanha da fraternidade debruçou-se na relação entre a fraternidade e a segurança publica,reiterando que a paz é fruto da justiça. Como haverá a paz enquanto os egressos são injustiçados no mercado do trabalho? Como teremos uma segurança publica que preste, se ao egresso não é permitido trabalhar honestamente, se não para que volta a delinqüir?(pois é excluído no processo de concurso publico).
      Espero que nesse fórum se saiba aproveitar a oportunidade para discutir acerca desse mal de excluir o egresso no mercado de trabalho, só com base na sua vida pregressa, sem se atentar na possibilidade da sua recuperação. Nesse sentido, os egressos são obrigados a viverem numa situação paradoxal e contraditória de ”presos” embora em ”liberdade’‘, pois não podem considerar-se livres pelo simples fato de terem recebidos um alvará de soltura, enquanto permanecem presos a preconceitos e acorrentados à discriminação social.
      É preciso romper com os entraves escravizante que mantêm os egressos na marginalidade (preconceito, discriminação e impossibilidade de prestação de concursos). A sociedade parece ter esquecido que a reintegração dos egressos no seu seio, é a sua responsabilidade, podendo favorecer a superação da violência na sua origem. (sociedade como fautora da violência). A sociedade promove a criminalidade, à medida que não dá oportunidade para os egressos, deixando de lhes dar chances para reconstrução de suas vidas (através do trabalho digno). Precisamos entender que não basta colocar uma pessoa em liberdade, sem oportunidades para que tal pessoa não venha a cometer novos delitos, devido á falta de perspectivas.
      A sociedade deveria ter a sensibilidade de perceber que: a recidiva criminal denuncia a incompetência do Estado na recuperação dessas pessoas, ao invés de achar que tais pessoas não mudam porque não querem. Digo sem sombra da duvida que, não é só os interesses dos egressos na permanecia no mundo da criminalidade que justifica a sua reincidência nos crimes, mas também por falta de oportunidade para prestarem concursos publico (exigência de apresentação de certidão negativa). Isto implica, portanto, que a sociedade vê-se arrastada para o turbilhão da violência e criminalidade que vemos hoje, onde as leis negativas são representadas nessa proibição. A existência dessa hipocrisia fere a assistência que prevê a lei das execuções penais (lep) no seu art.27, a negar aos egressos, o direito á obtenção de trabalho através do concurso publico. (concursos públicos para os egressos já!!!).

      CORNELIUS OKWUDILI EZEOKEKE
      INSTITUTO DE CIÊNCIAS RELIGIOSAS (ICRE).
      CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA.

      • rogeriojordao

        legal o seu blog e o seu trabalho. Não sabia que ex-detentos não podem prestar concursos públicos, isto é um absurdo. Isto está escrito em algum lugar? É alguma lei? Se vc puder me passar detalhes, agradeço! abs, Rogério.

  3. Bom dia irmão,me parece que não tem uma lei especifica que proibe isso,porém tem-se usado uma suposta moralidade pública para impedir o ingresso dos egressos no mercado de trabalho através do concurso.Eu te indico um fórum onde estamos discurtindo esse tema e lá poderá encontrar um monte de opiniões e aparentemente leis que exigem lisura moral dos egressos,além de antecedentes impercável para poder participar.O endereço é http://www.jusnavigandi.com.br/fórum/predidiários podem prestar concurso público?.espero que as informações sejam utéis!.

  4. BOM DIA,PODE ENTRAR NO FÓRUM ONDE ESTAMOS DISCURTINDO ESSA TEMÁTICA.O ENDEREÇO É http://WWW.JUSNAVIGANDI.COM.BR/FÓRUM/EX-PRESIDIÁRIO PODE PRESTAR CONCURSO PÚBLICO?LÁ TEM VÁRIAS PESSOAS QUE SUSTENTA A LEGALIDADE DESSA PROIBIÇÃO.

  5. Gledson dos Santos Garcia

    Bom Dia,
    Gostaria de saber e que vocês me respondessem o mais breve possível, se eu que sou ex-presidiário e estou de liberdade provisória posso prestar algum tipo de concurso público?
    Estou ancioso pela resposta favorável ou não.
    Desde já obrigado.
    Mande-me um e-mail ou me ligue meu cel. é (19)9303-1201
    Por Favor me Ajudem…

    • rogeriojordao

      Gledson: não sou advogado e não tenho a resposta para você, mas a impressão que tenho é que sim, que ex-presidiários podem prestar concursos públicos, desde que estejam com os documentos em dia, como qualquer candidato a um cargo público (CPF, título de eleitor, essas coisas).
      De qualquer forma, você poderia procurar, aí na sua cidade, a DEFENSORIA PÚBLICA, lá provavelmente eles terão informações mais exatas. Você já tentou lá?

  6. meyre

    Olha, ex-presidiário não pode prestar concurso público, pois antes de tomar posse é necessário a entrega de todos os documentos exigidos em edital. Um dos documentos é o de bons antecedentes. Pedem antecedentes criminal e cível. Ex-presidiário para o Estado tem bons antecedentes? O Conselho Nacional de Justiça faz propaganda pra contratar preso, mas nem o próprio CNJ e nem o Estado querem contratá-los. O pior é que pelas estatísticas a maioria dos ex-presidiários voltam a delinquir. A maioria, e não todos. E a vida é assim. Infelizmente os justos pagam pelos pecadores.

  7. ANA LUCIA SANTOS

    Fica muito dificil fazer a ressorcialização de ex-detentos se o própro poder público impede que isso aconteça.
    Como a sociedade pode aceitar essas pessoas se mesmo cumprindo suas penas, continuam em débito perante o estado.
    Muitos em Brasília tem a ficha suja, e nem por isso são proíbidos de exercer cargos públicos e o pior falando em nome da sociedade.

    Haja hipocrisia !

  8. Junior Carneiro

    EU SOU UM EX-PRESIDIARIO, HOJE ACORDEI PRA VIDA E SONHO COM UM EMPREGO PUBLICO CONCURSADO QUERO LUTAR POR ISSO POR ISSO ESTUDO MUITO GRAÇAS A MINHA FAMILIA, MAS A FAMILIA NÃO É SUFICIENTE PARA MELHORAR A CRIMINALIDADE, SOU DE ACORDO COM LEIS DURAS CONTRA O CRIME, POREM TEMOS QUER TER LEIS PARA RESSOCIALIZAR O EX-APENADO COMO POR EXEMPLO CADA EMPRESA ACIMA DE 10 OU 30 FUNCIONARIOS TEM QUER TER UM EX-APENADO COM CARTEIRA ASSINADA. TEMOS QUER DAR UMA SEGUNDA CHANCE POIS QUEM ESTÁ PRESO TEM MUITO TEMPO PRA SE ARREPENDER NO QUE FEZ. SONHO COM UMA CAMINHADA COM ESSE PROPOSITO EM BRASILIA E SE TIVER ME CONVIDEM QUE EU ESTAREI LÁ. junior.biotec@hotmail.com.

  9. jonas

    Olha só, sou ex-detento mas cumpri minha pena a qual está extinta devido ao seu cumprimento, minhas certidões de antecedentes atualmente saem negativas, ou seja, NADA CONSTA e estou com meus direitos políticos restabelecidos com quitação eleitoral. E com muita determinação cursei Direito e ano passado conclui o mesmo, ademais logrei êxito no X Exame da OAB em 2013 antes mesmo de ter concluído o referido curso, tenho o certificado de aprovação da OAB mas não exerço porém o certificado possui caráter imprescritível. Faço especialização em Direito e Processo Penal.
    Focando na discussão em tela, pretendo prestar concurso público, mas por tudo que li a respeito o meio mas viável para quem possui condenação criminal e sua pena estiver extinta por período igual ou superior a dois anos poderá pleitear a REABILITAÇÃO JUDICIAL, prevista no artigo 93 do Código Penal(CP). Pois é requisito para empossamento em cargo público moralidade e muitas vezes é alvo de discussão por meio de Mandado de Segurança (MS) mas precisa de direito líquido e certo para estar amparado por este instituto, logo a REABILITAÇÃO JUDICIAL trará esta moralidade, ou seja, idoneidade moral exigida pelo artigo 37 da CF\88.
    Vamos em frente dará tudo certo no final, obrigado DEUS, pois sem o senhor não sou e nem serei nada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s